Por causa de briga de crianças, pai guardou bicicleta por 35 anos

(Texto e fotos: Aida Franco)


Da direita para a esquerda, Lucas com a Monareta azul que ficou guardada por 35 anos, acompanhado de sua noiva Daiara, a irmã Bruna e o cunhado Alessandro. Passeio em família com bicicletas que são verdadeiras relíquias

Cianorte, Paraná, 1982. Valdelan Andrade resolveu presentear os filhos  João, de oito anos, e Clarice de dez anos com uma bicicleta. Com pouco dinheiro no bolso, ele comprou uma bicicleta Monark, modelo  Monareta usada e combinou com as duas crianças que o brinquedo era para ser compartilhado.

 

Mas Valdelan esqueceu que estava fazendo um trato com crianças que desconheciam uma das leis de Newton e ambas queriam que dois corpos ocupassem uma única bicicleta ao mesmo tempo! E era briga na certa! Eles eram pequenos, a bicicleta era grande e como não conseguiam frear, só paravam quando batiam na balaustra da cerca e o berreiro só aumentava!

Sem medo de traumatizar a molecada e firme em honrar sua palavra, para dar uma trégua no berreiro, Valdelan resolveu guardar a bicicleta no forro da casa. E lá ela ficou por 35 anos! Quando ele se mudou para outro endereço,  uma terceira geração da família entrou na disputa pelo brinquedo da discórdia! O mecânico Lucas Mendes de Andrade Sitta, filho de Clarice, também cresceu os olhos na tal bicicleta. “Meu tio queria levar para Cuiabá, para colocar no escritório dele, mas meu avô decidiu me dar ela de presente. Acho que é porque sou o único neto homem”, teoriza.

Lucas, com a bicicleta que ficou 35 anos guardada para evitar brigas

Apaixonado por objetos antigos, gosto herdado de seu pai Ruberval, Lucas deixou a Monareta impecável. E então soube de uma outra  do mesmo modelo que estava há 40 anos enterrada na casa de um primo, em Indianópolis. “Fui lá buscar e reformei”, conta com orgulho sobre a bike vermelha, das fotos abaixo. Depois adquiriu mais duas de um vizinho. Ele restaura as bicicletas nas horas vagas e leva em média de um mês para chegar ao resultado final. Já são seis bicicletas antigas rodando em perfeito estado e da marca Monark, modelo Monareta são cinco.

“A gente pedala todo final de semana, aparece gente querendo tirar foto e interessado em comprar, mas eu não vendo de jeito nenhum”.

Se a família relembra do ocorrido de tantos anos? “Sim, eles relembram e dão risadas das brigas de quando eram criança. Mas todo mundo gosta porque a bicicleta voltou a ser como antes.” E literalmente, afinal a “briga” quase continua entre os herdeiros, mas dessa vez Valdelan botou um ponto final na história.

NOTA DA REDAÇÃO.

Tão logo a matéria foi para o ar ganhou bastante visibilidade e claro, chegou até o João, o garoto que disputava a bike com sua irmã Clarice. Ele compartilhou o texto na sua rede social, mas um detalhe (observe na flecha) chamou a atenção… E pelo visto, o ponto final se transformou em reticências e a Monareta vai continuar sendo motivo de uma saudável queda de braços entre a família…
Sobre Aida 39 Artigos
Jornalista, com graduação e especialização em Patrimônio Histórico pela UEPG; Guia Especializada pela Embratur; mestre e doutora em Comunicação e Semiótica pela PUC - SP e Técnica em Vestuário pelo CEEP CNE. Experiência em Ensino Superior, assessorias à ONGs, associações de classe e jornal diário. Voluntária em entidades ambientalistas.
error: Conteúdo Protegido